Cirurgia Plástica em Curitiba

A beleza é um tabu para muita gente. Muitas vezes influenciadas pelos padrões impostos pelas grandes massas midiáticas e pelas pessoas como um todo, muita gente busca formas de parecerem bonitas perante a sociedade. E, para isso, muitas vezes, recorrem a intervenções que vão desde o visual e, até mesmo, cirúrgicas.

É o caso das cirurgias plásticas, que estão ganhando adesão por todo o lugar do mundo. O Brasil, por exemplo, é um dos países que mais fazem cirurgias plásticas em todo o mundo, perdendo somente para os Estados Unidos – mas a ponta do ranking, em um futuro não muito distante, será tomada pelo território tupiniquim- o que mostra a grande procura pelas intervenções estéticas pelas pessoas.

Antigamente um processo caro (ainda é, mas bem menos que antes), era uma coisa realizada somente pelas celebridades e pessoas que tinham alto poder aquisitivo. No entanto, as classes mais baixas, cada vez mais, vêm aderindo à moda de mexer em alguma parte do corpo que não a agrada.

O nosso artigo de hoje visa a explanação do tema cirurgia plástica e, também, a indicação de algumas clínicas especializadas nesse tipo de cirurgia que estão localizadas em uma das cidades mais bonitas do país: Curitiba, a capital do Paraná. Vamos lá?

A Origem das Cirurgias Plásticas

As cirurgias plásticas são as artes de cura humana mais antigas de todo o planeta. Engana-se quem pensava que as intervenções cirúrgicas eram invenções recentes. Os primeiros relatos concretos da existência das cirurgias plásticas são papiros encontrados no antigo Egito, tendo sua provável confecção em 2500 antes de Cristo, onde estavam descrições sobre procedimentos realizados em narizes, orelhas, mandíbulas, entre outros. Tais procedimentos geralmente eram realizados por conta dos ferimentos enfrentados pelos soldados egípcios em guerras e outros acontecimentos.

A cirurgia plástica, em sua essência, surgiu na Índia, o que indicam alguns historiadores. A prática surgiu em algumas tribos indianas, como forma de punição, e não para fins de correções estéticas. Prova disso são os relatos de práticas mutiladoras defendidos por tais tribos naquela época. Por exemplo, se uma mulher traísse o seu marido, ela deveria ter o nariz amputado, como penalidade e para mostrar às outras mulheres a “importância” de se manterem fiéis aos seus esposos. Uma clara forma de dominação psicológica e física.

Naquela época, os estudos anatômicos do corpo se desenvolveram muito, por conta da permissão das autoridades em poder dissecar os corpos de integrantes mortos da tribo. Foi a partir daí que a cirurgia plástica se desenvolveu ainda mais. As primeiras cirurgias com os propósitos que hoje são empregados foram feitos pelos cirurgiões da época, que, para consertar alguns ferimentos causados por guerra, como, por exemplo, a perda parcial de uma parte da cartilagem do nariz, utilizava outra parte do corpo do paciente para consertar os erros. Para curar os ferimentos extensos na pele de um soldado, utilizavam outros pedaços de pele retirados da perna do paciente para implantar no local desejado. Isso passou a ser chamado de enxertos, o que é feito até hoje, para consertar traumas sofridos em determinadas partes do corpo. Um dos livros mais conhecidos relacionados à cirurgia plástica é o Sushruta, que é o primeiro livro com relatos de cirurgias plásticas da humanidade. Lá, estão contidos os primeiros procedimentos cirúrgicos com caráter estético que foram feitos pelos cirurgiões indianos. Tal livro foi confeccionado por volta do ano 100 antes de Cristo, e onde o escritor Sushruta fez um profundo e detalhado estudo sobre a medicina de sua época e das mais antigas. O livro do autor é tão rico em informações, que o mesmo catalogou mais de 100 instrumentos que eram utilizados nas cirurgias, foram outros que eram considerados extras ou auxiliares. O livro é revolucionário para época por, também, propor o que seria o primeiro código de ética que deveria ser seguido tanto pelos alunos de medicina quanto aos professores que ministravam as matérias aos futuros médicos.

No Império Romano, também, eram normais as intervenções cirúrgicas para o enxerto de pequenos pedaços de pele em orelhas e narizes, sobretudo em gladiadores e soldados do exército romano, que sofriam graves fraturas em batalhas.

Já na Grécia, a dissecação de cadáveres era estritamente proibida pelas autoridades gregas, que acreditavam no pleno respeito aos corpos das pessoas. Apesar da proibição, tais atos aconteciam às escondidas, o que permitia o desenvolvimento das técnicas entre os gregos. O filósofo Hipócrates, que viveu no século V antes de Cristo, mencionava, em seus autos, procedimentos que poderiam ser considerados intervenções plásticas, como as preocupações acerca da calvície, preocupação no uso de curativos e enfaixamentos para evitar que o lugar fraturado sofra ainda mais. O desenvolvimento maior só veio com o decreto do Papa Sixto V, que liberou as atividades de dissecação de cadáveres.

Apesar de ser antiga, a cirurgia plástica só veio a ser considerada como uma especialidade médica nos idos dos acontecimentos da I Guerra Mundial, que aconteceu na década de 1910, quando vários soldados se submeteram as técnicas cirúrgicas para curarem os seus machucados e outros problemas decorrentes da guerra.

Hoje, a atividade já é bastante desenvolvida no mundo, e, o Brasil conta com vários médicos renomados, como Ivo Pitanguy, que foi o maior cirurgião plástico do mundo por conta de seu profissionalismo e suas técnicas, sendo procurado pelas maiores celebridades do mundo. Faleceu aos 90 anos, no dia 6 de agosto de 2016.

Clínicas Cirúrgicas em Curitiba

Em Curitiba, uma das cidades mais agradáveis e acolhedoras cidades brasileiras conta com uma infinidade de clínicas especializadas em cirurgias estéticas, que poderão realizar os seus sonhos. Confira, a seguir, algumas das clínicas presentes na cidade:

  • Dr. Marcos Grillo – Cirurgia Plástica; que está localizado na Avenida Sete de Setembro, com número 4848. O telefone é (41) 3343-8881;
  • Clínica Saint Paul; que também é especializada em cirurgias plásticas, que está localizada na Rua Desembargador Motta, número 1275. O telefone do estabelecimento é (41) 3222-2333;
  • Ruth Graf, outro estabelecimento para a realização de cirurgias plásticas. Está localizado na Rua Solimões, número 1175. Telefone: ( 41) 3021 – 7700.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Cirurgias Plásticas

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.